Surucucu
Surucucu

 


Serpente de hábito terrícola. No Brasil, temos uma espécie com duas subespécies, L.m.muta na Amazônia e L.m.rhombeata na Mata Atlântica. Também é encontrada na América Central. É a maior serpente peçonhenta das Américas. Vive exclusivamente em áreas florestadas de solo úmido, abrigando-se durante o dia no oco de troncos, entre as raízes salientes das árvores e em tocas abandonadas. Possui uma das maiores presas de inoculação dentre todas as serpentes e seu bote pode ultrapassar 1/3 de distância em relação ao seu corpo. Embora não tenha guizos, é capaz de emitir sons, esfregando contra a folhagem um pequeno osso que possui na extremidade da cauda. 
Dessa forma, a surucucu dá sinal de que está incomodada quando invadem seu território.Os acidentes com as Lachesis, são muito raros, devido ao seu habitat específico, onde a densidade populacional é baixa. As surucucus tem o corpo amarelado com desenhos escuros , e a identificação é feita através da cauda que possui escamas eriçadas, são mais agressivas. Ela tem dois tipos de bote: um ela bate e solta, que é um bote defensivo, ou ela bate e segura, que é um bote alimentar.


Nompopular: Surucucu
Outras denominações: Surucucu-pico-de-jaca, pico-de-jaca, surucutinga, surucucu-de-fogo
Nome científico: Lachesis muta 
Gênero: Lachesis
Subespécies: Lachesis muta muta (Linnaeus, 1766)
                     Lachesis muta rhombeata (Wied-Neuwied, 1824)
Filo: Chordata
Classe: 
Reptilia
Ordem: 
Squamata
Subordem: Serpentes (Ophidia)

Família: 
Viperidae
Dentição: Solenóglifa
Hábitos Alimentares: Alimenta-se de animais homeotérmicos, principalmente roedores (ratos, cotias e esquilos).
Reprodução: Ovípara, com até 20 ovos.
Tamanho: Pode ultrapassar os 3 metros de comprimento. É a maior cobra peçonhenta das Américas.
Hábitat: Possuem hábitos terrestres, vivem exclusivamente em áreas florestadas.
Atividade: Noturno
Distribuição geográfica: Amazônia e Mata Atlântica (da Paraíba até o Norte do Rio de Janeiro).